10 de janeiro de 2011

Produção da semana e crônica de Martha Medeiros ( Mulher Boazinha)

Mulher Boazinha.

Qual o elogio que uma mulher adora receber?
Bom, se você está com tempo, pode-se listar aqui uns setecentos:
mulher adora que verbalizem seus atributos, sejam eles físicos ou morais.
Diga que ela é uma mulher inteligente, e ela irá com a sua cara.
Diga que ela tem um ótimo caráter e um corpo que é uma provocação,
e ela decorará o seu número.
Fale do seu olhar, da sua pele, do seu sorriso, da sua presença de espírito,
da sua aura de mistério, de como ela tem classe:
ela achará você muito observador e lhe dará uma cópia da chave de casa.
Mas não pense que o jogo está ganho: manter o cargo vai depender da sua
perspicácia para encontrar novas qualidades nessa mulher poderosa, absoluta.
Diga que ela cozinha melhor que a sua mãe,
que ela tem uma voz que faz você pensar obscenidades,
que ela é um avião no mundo dos negócios.
Fale sobre sua competência, seu senso de oportunidade,
seu bom gosto musical.
Agora quer ver o mundo cair?
Diga que ela é muito boazinha.
Descreva aí uma mulher boazinha.
Voz fina, roupas pastel, calçados rente ao chão.
Aceita encomendas de doces, contribui para a igreja,
cuida dos sobrinhos nos finais de semana.
Disponível, serena, previsível, nunca foi vista negando um favor.
Nunca teve um chilique.
Nunca colocou os pés num show de rock.
É queridinha.
Pequeninha.
Educadinha.
Enfim, uma mulher boazinha.
Fomos boazinhas por séculos.
Engolíamos tudo e fingíamos não ver nada, ceguinhas.
Vivíamos no nosso mundinho, rodeadas de panelinhas e nenezinhos.
A vida feminina era esse frege: bordados, paredes brancas,
crucifixo em cima da cama, tudo certinho.
Passamos um tempão assim, comportadinhas, enquanto íamos alimentando um
desejo incontrolável de virar a mesa.
Quietinhas, mas inquietas.
Até que chegou o dia em que deixamos de ser as coitadinhas.
Ninguém mais fala em namoradinhas do Brasil: somos atrizes,
estrelas, profissionais.
Adolescentes não são mais brotinhos: são garotas da geração teen.
Ser chamada de patricinha é ofensa mortal.
Pitchulinha é coisa de retardada.
Quem gosta de diminutivos, definha.
Ser boazinha não tem nada a ver com ser generosa.
Ser boa é bom, ser boazinha é péssimo.
As boazinhas não têm defeitos.
Não têm atitude.
Conformam-se com a coadjuvância.
PH neutro.
Ser chamada de boazinha, mesmo com a melhor das intenções,
é o pior dos desaforos.
Mulheres bacanas, complicadas, batalhadoras, persistentes, ciumentas,
apressadas, é isso que somos hoje.
Merecemos adjetivos velozes, produtivos, enigmáticos.
As “inhas” não moram mais aqui.
Foram para o espaço, sozinhas.
Martha Medeiros.

fonte(http://palavrastodaspalavras.wordpress.com/2008/03/18/a-mulher-boazinha-por-martha-medeiros/)

Esta caixa preta fiz esta semana que passou, uma pintura simples com aplicação de relevo com cola 3d colorfix.







Esta caixa de natal atrazada finalizei esta semana passada também, usei uma técnica nova que aprendi no fim de dezembro, Patchwork embutido, esta técnica usa tecidos, isopor, caixas de mdf e muitaaa cola. Dá um trabalhoo, mas adoreiiiiii!





Este pano de cozinha fiz esta semana que passou também, usei a técnica de patch aplique.


Pra vc ver que a semana de férias bombou, mas já a próxima so deus sabe.
bjooo boa semana visitas!!!!!


9 comentários:

  1. Oi Silvia tudo lindo a crônica e as caixas!! boa semana.
    Bjos

    ResponderExcluir
  2. Olá, amiga! Obrigada, pela visita, e se vc tem tempo, adote um animalzinho! É carinho e companheirismo 24 horas! Sem contar que baixa a adrenalina! Amei a caixa com patch! Tb. inventei alguma coisa com essa tecnica em toalhas de banho e todos que foram presenteados gostaram. Só esqueci de fotografar...Agora, quero fazer uma colcha! Te mete! hehehe...
    Bjs e até...

    ResponderExcluir
  3. Linda a sua produção Aline. Adorei o Papai Noel. O esforço valeu a pena, ficou lindo.
    Bjoka

    ResponderExcluir
  4. Desculpa Silvia, acho que errei seu nome né? rs.
    Isso que dá ficar navegando sem parar pelo mundo bloguístico...
    Perdão, mas errei apenas o nome, o pensamento estava em você querida.
    Bjoka

    ResponderExcluir
  5. obrigada pela visitinha, vim retribuir, seus trabalhos são lindos

    ResponderExcluir
  6. Adorei a crônica! E parabéns pelo seu trabalho, é muito lindo! =) Beijos

    ResponderExcluir
  7. Está tudo muito lindo!
    Tenha um 2011 com muita saúde e realizações.
    Bjs,

    Joyce

    ResponderExcluir
  8. Oi Silvinha que linda sua caixinha deve ter dado muito trabalho mas o resultado ficou supimpa. Escuta, sábias palavras nas crônicas que vc postou. Menina e este paninho de prato de gatinho ficou MARA, eita que semana produtiva hein! Parabéns. Beijos e um maravilhoso domingo

    ResponderExcluir

Oi se gostou comenta aí, leio os comentário com muito carinho.
bjuuu